Passagem de Mariana

FUNDAÇÃO DE PASSAGEM DE MARIANA¹

O nascimento de Passagem confunde-se com o de Mariana e o de Ouro Preto, naquela primitiva época das “bandeiras”, quando o Cel. Salvador Fernandes Furtado, paulista procedente de Taubaté, armou, no simpático dia consagrado à Virgem do Carmo (16/07/1696), as primeiras cabanas na praia do Mata Cavalos, às margens de um ribeirão. Pouco tempo depois, em 24/06/1698, Antonio Dias inaugurou Vila Rica, pelo vale do Tripuí. E foi o móvel do aparecimento destas três localidades tão próxima entre si: a busca aflita do metal mais precioso.

A procura do ouro, mais do que presente, fascinava aventureiros, sempre desejosos de um enriquecimento fácil e imediato, logrando assim promoção social.

O Número 1 do primeiro jornal passagense, “O Espeto”, datado de 30/09/1928, registra que o arraial de Passagem surgiu pouco depois da fundação de Mariana, em 1969, tendo já uma capela em 1710. E o dito exemplar do jornal informa ainda: “este districto possue um bom cinema, um theatrinho, importantes sociedades de beneficências, treis sociedades recreativas, uma dramática e literária, quadras de Sport, duas bandas musicais, quatro escolas públicas, sendo uma nocturna, importantes casas comerciais, botequins, bares, diversas casas, etc...” Consta ainda ter havido na Rua de Baixo um pequeno cassino ou casa de jogos. Falou-se também na existência de um campo de golfe, quadra de tênis(?) e cercado de malha.

O TOPÔNIMO: PASSAGEM DE MARIANA

A posição geográfica desta localidade, incrustada entre Ouro Preto (de que dista 8km. Sentido norte) e Mariana (4km.sul) explica e justifica o seu nome, por ter sido sempre a ligação natural e tradicional entre as duas mais antigas comunas de Minas.

Corre ainda entre os moradores do lugar a tradição oral de que este topônimo ficou devido a uma travessia difícil, estreita e perigosa por sobre o Ribeirão do Carmo onde depois se elevou a antiga ponte de pedras, no ponto em que termina a decida da Rua do Comércio. Mas merece maior crédito a explicação que lembra a conexão entre Ouro Preto e Mariana. É certo que já em 1720 havia no local uma ponte. Lê-se na História Antiga de Minas Gerais (Diogo de Vasconcelos), “Ao povo de Passagem o Conde (de Assumar) ordenou que não consentisse que os revoltosos atravessassem a ponte, mas era por eles aquela gente...”.

Em 17 de dezembro de 1938, por força do Decreto-Lei n. 148, o antigo nome Passagem foi alterado para Passagem de Mariana, a cujo município pertence até hoje.

E, assim, prosaicamente, sem outra conotação mais elevada e sim em decorrência da geografia, vingou o nome de Passagem para o simpático burgo, um humilde satélite não reclamando para si brilho próprio, entre os dois luminosos astros da história primitiva de Minas.

¹ Trecho do livro Notas históricas sobre Passagem de Mariana – Passagem até o século XXI – Mons. Flávio Carneiro Rodrigues e Profª Maria Angela Assunção Moreira

_____________________________________________________________________________________________________________________________________

ATRATIVOS CULTURAIS E TURÍSTICOS

 Sociedade Musical São Sebastião

Sociedade Musical Santa Cecília

Escola de Samba Morro da Saudade

Escola de Samba Mirim Maestro Ataíde

Clube Osquindô

Lunática

Circovolante

Teatro do Dragão

Casa Maria Sabão

Grupo GINSOL

Atelier Arte e Ferro

Mina da Passagem

 

ASSOCIAÇÃO DE BAIRROS

 Associação Comunitária Passagense

 

ESPORTE

Estrela Azul

Sport Futebol Club

União Esporte Club

100 Futuro

Associação Ham Tai-Humanos amantes de Tai Chi Chuan

Projeto Escolar Formação do Cidadão

 

EDUCAÇÃO

Escola Municipal Passagem de Mariana

Escola Estadual Coronel Benjamim Guimarães

Creche Municipal Centro Infantil Danielle Cristina Mendes da Silva

 

COMUNICAÇÃO

Jornal O Espeto

Jornal O Mundo dos Inconfidentes

·Rádio Comunitária Primeira Capital 87,9 FM

 

 

 

Fonte: http://www.mariana.mg.gov.br





PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA GLÓRIA
Praça Aristides Pereira, 426 | Passagem de Mariana
Mariana/MG | CEP:35421-000
Telefone: (31)35575015